Terça-feira, 9 de Outubro de 2012

Até que ponto devem as crianças ter poder de decisão?

Há quem advogue que as crianças devem ser habituadas  a decidir desde pequenas. Não tenho argumentos para isto. Mas sou apologista de que, antes disso, a criança deve saber respeitar e obedecer. Deve ter noção de hierarquias e de como se comportar perante "superiores".

 

Um dia destes, no cabeleireiro, assisti a uma mãe resignada, depois de cerca de meia hora à espera da vez da filha, que teria uns 11 anos. A criança, que tinha cabelo até meio das costas,queria cortá-lo pelo pescoço, como algumas colegas do colégio. A mãe queria que ela cortasse só 3 dedos. Fez beicinho, chorou, deu-se-lhe uma secadela e foram-se embora, sem corte.

 

Lourdes, a já famosa filha de Madonna, rapou o cabelo, deixando apenas uma crista:

 

 

Tem 15 anos.

 

Willow Smith, a filha mais nova de Will Smith e Jada Pinkett-Smith, de apenas 11 anos, também rapou o cabelo.

 

Não terão os pais uma palavra a dizer no estilo dos filhos? A partir de que momento deve ser eles a decidir, sem o "dedo" dos mais velhos?

 

Uma coisa que me faz muita confusão, é ver meninas completamente descascadas, por ser moda. Não cabe às mães sensibilizá-las?

publicado por fraufromatlantida às 11:20
link do post | mergulhar | favorito
8 comentários:
De RS a 9 de Outubro de 2012 às 14:12
Concordo plenamente com as observações. Infelizmente são cada menos os bons "maus pais", sendo cada vez mais pressionados.
De fraufromatlantida a 9 de Outubro de 2012 às 15:33
Pressionados por quem?! Espero que a "pressão", daqui a uns anos, não seja ao contrário...
De marta-omeucanto a 9 de Outubro de 2012 às 15:01
A minha filha teve a sorte de crescer com um cabelo lindo. Até aos 4 anos, nunca lhe tinha cortado o cabelo e estava até às costas, todo cheio de canudinhos naturais. Aos 4 anos, levei-a à cabeleireira para lhe cortar as pontas. Acabaram por lhe cortar uns 10 cm (para mim foi muito - um choque mesmo) embora ainda estivesse comprido! Os canudos foram-se. A partir daí passou a estar liso. Desde então, já não é a primeira vez que ela me diz que quer cortar o cabelo pelos ombros (como a maioria das colegas dela da escola) mas eu não a deixo! O ano passado, talvez por rebeldia, cortou ela própria bocados de cabelo com a tesoura da escola. Fiquei possessa, mas felizmente a "pancada" passou-lhe...espero eu!
De fraufromatlantida a 9 de Outubro de 2012 às 15:40
Relativamente à primeira parte, não fique triste nem se sinta responsável: o tipo de cabelo é genético e os canudos iam acabar por desaparecer. Eu tenho uma juba e estou sempre a pensar nas vantagens do cabelo liso. ;)
Sou de opinião que, enquanto forem os pais a sustentar, devem fazer valer os seus gostos e preferências. Não quero, com isto, dizer que se anulem as opiniões das crianças. E, quando não forem muito diferentes das que temos, deixar levar a delas avante. E, nessas situações, "negociar" essa possibilidade em troca de outra coisa que elas raramente façam. Servindo de estímulo para as coisas difíceis. Mas julgo que, ainda assim,isso deve constituir uma excepção. Senão começam a ver que tudo serve para negociar.
De trocatintas a 9 de Outubro de 2012 às 23:36
Como em tudo deve haver bom senso, ou sensibilidade. Se lhes queremos incutir responsabilidades e a capacidade de pensar por si próprios, não podemos depois negar uma vontade que lhes diz respeito. Não quero dizer que concorde ou apoie rapar a cabeça, ou deixar o cabelo crescer até aos joelhos mas concordo em perceber o que é capricho e o que é uma vontade legítima de andar como mais gosta e se sente bem. Um exemplo prático: adoro ver o meu puto de camisa, acho que fica o máximo. Ele odeia. Eu deixei de comprar porque era um capricho meu, não uma necessidade. Nas coisas que considero importantes, mando eu, mas gosto de ter um motivo que se "apresente".
De fraufromatlantida a 10 de Outubro de 2012 às 12:19
Como referi, não devemos anulá-los nem tão pouco querer que eles sejam um espelho nosso. Mas, por exemplo, uma menina que ainda não se saiba pentear e secar o cabelo só terá o cabelo comprido se a mãe, ou o pai, quiserem, pois terá que ser um deles a fazer tudo isso.
Uma mãe foi presa, nos USA (bem sei que são demasiado radicais) por ter feito uma tatuagem na filha de 11 anos! A menina queria, toca a fazer! Your order is my command...
De trocatintas a 10 de Outubro de 2012 às 12:27
Tens toda a razão. E a tatuagem era gira?
De fraufromatlantida a 10 de Outubro de 2012 às 18:16
Não faço ideia... devia ser uma Hello Kitty. Ahahah

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar na Atlântida

 

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.mergulhos recentes

. Não ter onde cair morto -...

. O encontro com "myself"

. Voltando à história do ca...

. Troika negoceia Verão com...

. O meu dia de ontem...

. Sobre a adopção por casal...

. Sou Benfica!!!!

. Afinal deu frutos!

. A Peregrinação

. Acerca dos (escandalosos)...

.arquivos

. Setembro 2014

. Julho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Julho 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. A Gaffe recortada

. Quem é que estava velho, ...

.atlantes

blogs SAPO

.subscrever feeds