Terça-feira, 6 de Abril de 2010

Ruptura

Estou a chegar ao meu ponto de ruptura. Desde há uns meses que tenho dado oportunidade atrás de oportunidade, mas estou no meu limite. Ele continua doente, apesar de não assumir e a verdade é que a depressão, a confusão mental, se torna contagiante! Estou a perder as forças... Amo-o e tenho tentado que lhe "caia a ficha", que admita que precisa de ajuda, porque sozinha não consigo. Mas para ele, assumir que precisa de se tratar, é assumir uma qualquer loucura. Tenho sido mais que tolerante: com os fins-de-semana que em que ele está com os filhos e em que, por vezes, nem me liga, com as semanas que passo sozinha, com o esperar que ele, finalmente, assuma que o pai é ele, e alicie os filhos a fazer programas connosco. Mas as crianças, de 7 e 9 anos, ganharam o poder, e ele tem estado à espera que sejam elas a pedir para estar comigo! Utopia, correcto? E, depois, todas as responsabilidade que lhe deixam a conta a zero antes do final do mês, o desespero por mais este problema e por não poder dar aos filhos o que sempre deu. Enfim, e tantas outras coisas que, a pouco e pouco, vão entrando para este imenso caldeirão, que já está em ebulição.

 

Mas sei que, também eu, me aproximo do precipício e que, se não der este passo atrás... Somos 2, em vez de 1!  

 

E porque tenho que consciencializar que, ao fim de ano e meio, quase, já não podemos viver como casal, porque as crianças não deixam, e que não passa de uma ilusão a esperança que acalento de que ele, um dia, desperta, e vê que para nós seguirmos em frente, os filhos têm que seguir connosco. É impossível esta vida em paralelo, esta meia coisa, estes 2 fins-de-semana por mês em que estamos juntos... e que estamos bem! Porque as relações não são em part-time, porque eu mereço mais. Não me posso preocupar constantemente connosco e remar sozinha, quando o outro não se preocupa...

 

Sei que tenho que pôr um ponto final, a bem da minha sanidade, mas está-me a custar horrores. Tenho que pensar que é em prol do meu futuro bem estar, que não posso continuar nesta infelicidade causada pela falta de expectativas e... pela falta dele! Porque se é para estar só, prefiro está-lo assumidamente, sem ilusões...

publicado por fraufromatlantida às 11:10
link do post | mergulhar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar na Atlântida

 

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.mergulhos recentes

. Não ter onde cair morto -...

. O encontro com "myself"

. Voltando à história do ca...

. Troika negoceia Verão com...

. O meu dia de ontem...

. Sobre a adopção por casal...

. Sou Benfica!!!!

. Afinal deu frutos!

. A Peregrinação

. Acerca dos (escandalosos)...

.arquivos

. Setembro 2014

. Julho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Julho 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. A Gaffe recortada

. Quem é que estava velho, ...

.atlantes

.Mergulhadores

blogs SAPO

.subscrever feeds